Sabemos muito bem que a Virgem Santíssima é a rainha do céu e da terra, mas ela é mais mãe do que rainha.
Bom Dia! São José dos Campos, terça-feira, 24 de outubro de 2017

Avisos Paroquiais
Receba nosso informativo diretamente em seu e-mail.
Por que perseverar no difícil caminho do crescimento espiritual, se no final Deus concederá a salvação tanto para mim quanto para o bandido?


30/06/2012

A nossa confiança na bondade divina não nos dispensa de fazer a nossa parte no sentido de acolher a salvação que nos será dada por Deus, mas não de maneira impositiva. A esse respeito, disse Santo Agostinho: “Deus que nos criou sem nós, não pode nos salvar sem nossa colaboração/participação”.
É verdade que a salvação é dom da misericórdia divina e destina-se a todas as pessoas, mas somente quem a aceitar livre e comprometidamente a conquistará de fato.
A perseverança no crescimento espiritual não é pagamento antecipado da salvação, mas demonstração da confiança que temos na realização dessa promessa divina, participação em nosso processo redentor, vivência antecipada e comunicação deste dom aos outros para que o conheçam, aceitem e vivam também.
Quem age mal pode fazê-lo por diversas razões: ignorância, incapacidade, orgulho, rejeição total de Deus etc. Não é o simples agir mal que impossibilita a salvação para alguém, mas o porquê disso, conhecido apenas por Deus, que julgará com misericórdia, mas também com justiça cada caso.
Quem procurou fazer sua parte, acolhendo a oferta divina e esforçando-se por vivê-la já na terra, mesmo não tendo chegado à perfeição alcançará a salvação. Quem não fez sua parte por desconhecimento ou incapacidade será julgado com misericórdia. Mas, quem foi preguiçoso em dar sua colaboração ou livremente se negou a isso, terá de responder por seu procedimento diante de Deus.

Pe. Edinei Evaldo Batista
Administrador Paroquial

 

Voltar

 
| Política de privacidade © 2010 Paróquia Santa Teresa do Menino Jesus. Todos os direitos reservados.